A PROCURA DE AMOR

Lá fora o barulho dos sonhos
Perdidos entre uma fresta de luz
Correndo entre homens
De corações ressequidos
De aflições de guerras, de lutas íntimas
Que se propagam a favor das desilusões...

Sonhos que vagam entre almas
A procura de amor,
Amores longínquos de afeto
Incertos ao dissabor do tempo
Que corre noites e dias
Sussurrando entre a ode e a poesia,
Por onde passam transeuntes
Pelas plataformas vazias dos trens
Que partem à revelia
Deixando para trás holocaustos
De bravos guerreiros pelo caminho...

Segue o trem da vida
Levando seres humanos
Para algum destino
Onde desembarque a felicidade
A procura de alguém
Que também procura amor...

Quantos sonhos partem da alma
Em êxtase de encontrar seu caminho!

Corre liberdade
Alcance sua verdade
Deixe amostra tua flâmula
Oh, homem de fé!
Para onde foi sua esperança?

Lá fora o tempo
É trem bala
Sobre estações de homens
Sem rumo e ausente uns dos outros
Porém, a mesma busca
Na plataforma das ilusões...

A mão estendida a espera de um carinho
Que ouça o coração daquele que partiu
Deixando para trás a saudade
Do amor ausente...

A chama dos sonhos se propaga
Ascende no outro, emoções perdidas
In loco a palavra amor
Atraindo o mesmo olhar que se trai
Retraído pela dor...

Em chamas sonhos e vidas
A procura de amor...

Regilene Rodrigues Neves
Em 24/01/2019






SEGUINDO A POESIA

Eu precisava seguir a poesia
Ouvir sem rumo suas aspirações
Era uma inspiração absoluta
Cheia de emoções e rimas complexas
Repartidas para multidões dentro de mim...

Uma voz gritava todos os versos
Que eu apenas escrevia como cúmplice
Daquela empatia de palavras
Que surgiam como se não tivesse pressa
Vieram para ficar e me dar seus segredos...

Ouvia a ode como um poeta
Descrevia sua musa
Ela continha uma beleza gentil,
Pois doava seu amor simplório
Queria apenas tocar a alma
Lá onde tudo tinha dimensão própria
Dada pela poesia que dali emergia
De profundezas cálidas e tênues
Pela delicadeza que continham...

Me sentia um pássaro
Abria minhas asas
E partia para o amanhã
Pousando corações distantes
Levando minhas intrínsecas linhas...

Eram epopeias cheias de gratidão,
Por aquele que sem saber
Me estendeu a mão
Em seu silêncio trajado
De amor ao próximo.

Só queria tocar sua alma
Como senti tocar a minha
Viajarmos juntos rumo ao mesmo universo
Esses eram meus versos
De extrema completude e carinho
Em meu âmago
Lugar secreto onde abrigo os íntimos...

E assim, seguindo a poesia
Fazer rastro
Deixando dentro saudade mútua
Compartilhada mundo afora
Curtidas por aqueles
Que leem poesias minhas...

Regilene Rodrigues Neves – em 11/01/2019





GRATIDÃO

Os dias sopram a promessa do novo
Vestida de gratidão olho para trás
Para as bênçãos que colhi
Sim. Foram muitos livramentos,
Que muitas vezes despercebidos,
Mas sei dos anjos
Que me acompanharam
Que agradeço.

Me refaço dos dias sôfregos
Das lutas diárias
Sempre olhando em frente
A espera do meu galardão
Fazendo dos meus dias
Um longo aprendizado.

Foram tantas lições
Para que minha gratidão absolvesse
Que Deus sempre me concedeu o melhor
Até mesmo na minha dor
Ele esteve do meu lado
Com a sua complacência e compaixão
Muitas vezes, reconheço fui ingratidão,
Egoísmo, orgulho, mas sei,
Que fazem parte
Da minha imperfeição.

Me perdoo e perdoo todos os dias
Sem perdão não há aprendizado.
Me alivio das minhas culpas e medos
Sei que Ele está comigo
É no seu amparo que me fortaleço
E agradeço cada instante da minha vida.

Se sofro, sim sofro,
Mas me alimento de alegria
Ponho na cara meu sorriso
Que nem sempre está dentro,
Mas que nos meus lábios me fortalecem
Sorrir faz minha alegria existir
De alguma forma escancaro-a para mim mesma.

Gratidão é fundamental
Para comprimirmos nossa missão
Sou grata a tudo e a todos
Que são parte do meu amadurecimento
É o passo a passo dos anos que ensina
Deus está acima olhando por nós
Sabendo das nossas necessidades
Sempre semeando para nós
Um dia colhermos a nossa sabedoria
Ela vem com os dias
Quando envelhecemos
Ganhamos mais que rugas,
Mas a soma do que aprendemos
No plano sábio da vida!


Regilene Rodrigues Neves – em 05/01/2019






FOI INCRÍVEL! EU E VOCÊ.

Mora em mim todos os amores
Guardados em peito aberto...

Ao longo do caminho
Uma travessia de alegrias
Por aqueles que encostaram no meu
Seu coração, que me acolheram com amor
Que me dedicaram a amizade
Na intensidade dos abraços
Dados na proporção de um laço
De quem por um ano me acolheu...

O velho ano finda
Guarda no tempo nossas memórias
Certifica-se dos sorrisos que trocamos
Beija-nos com o carinho
De uma aventura guardada para sempre...

Seguimos em frente rumo ao novo
Muitos nos acompanharão
Enquanto outros se despendem
Num ciclo de velhos e novos amigos
Deixando-nos rastros de saudade...

Você fez parte da minha vida
Plantou em mim suas flores
Cultivamos um lindo jardim
Florescemos juntos nossas primaveras
Folheamos o livro da vida
Escrevemos páginas incríveis sobre nós
Capítulos da nossa história
Deixamos escrita nossa amizade
Sim. Foram dias de felicidade!

Passamos por metamorfoses
Embarcamos em varias estações
Partimos para o próximo ano
Com a certeza de que compartilhamos
Sempre curtindo um ao outro...

Foi incrível! Eu e você.

Regilene Rodrigues Neves – em 25/11/20018






CINQUENTA E CINCOS ANOS DE EMILIANA VAZ

Pelo caminho minhas histórias
Sonhos, projetos, trajetórias
Minhas memórias...

Andei entre sol e chuva
Muitas vezes me molhei de lágrimas
Que chorei sobre a escrivaninha
Entre noites solitárias
Vestida de ilusões...

Tantas vezes me abriguei nas palavras
Dormi ao relento
De uma folha em branco
Enquanto escrevia na alma
Minha própria história
Capítulos inteiros de dor,
De aprendizado e amor
Lições passadas a limpo
Num livro de gratidão...

De sol e de luas me vesti
Abriguei-me lá fora
Das tempestades da vida
Enquanto chovia me guardei
Sob guarda-sóis de esperança
Reparti minha fé num pedaço de pão
Aquele cheio de incertezas na alma.

Despi meus medos
Dei a outra face
Lutei minhas batalhas
Venci minhas guerras
Quantas idades enfrentei
Para chegar aqui
Nessa intimidade
Que ninguém sabe
O quanto enfrentei
De orgulhos e egoísmos sobre meu ego,
Mas aprendi, escrevi minha história...

Cinquenta e cinco anos se passaram
Desde que nasceu Emiliana
O tempo passou, ela cresceu
Como cresceu aquela menina
De olhar incerto e medos profundos!

Hoje ela passa a limpo
Os rascunhos de uma vida
Livros afloram dela
E muitas histórias escrita-a-mão
Contam a linda biografia
De Emiliana Vaz – escritora
Autora de uma linda história até aqui.


MINHA HOMENAGEM PARA VOCÊ EMILIANA VAZ!

Regilene Rodrigues Neves – em 25/11/2018





A MULHER QUE CONQUISTEI EM MIM

Após muitas idades vencidas
E longas metamorfoses com a vida
Aprendi a me amar
Me amo todos os dias
Quando me encaro
No espelho da minha alma.

Tenho defeitos sim, muitos
Muitas coisas não são perfeitas em mim,
Mas eu posso sorrir todos os dias
Olhar o meu corpo e me amar
Porque é o meu corpo
Não existe outro igual.

Eu posso melhorar a minha alma
E corrigir minha postura
Trocar de lugar
Enxergar o outro,
Mas se não me amar em primeiro lugar
Nunca estarei pronta para amar

O amor não é egoísta
Não se vangloria
Tem que amar com sabedoria
Eu preciso do outro
Do amor que ele tem a me oferecer,
Mas preciso de mim
Me olhar e enxergar a mulher bonita
E capaz, ser plena e absoluta
Para mim em primeiro lugar
É preciso ter amor próprio
E nunca se diminuir para ninguém
O homem que precisa da minha covardia
Para se sentir homem não me merece.

Eu sou perfeita aos olhos de Deus
Que me deu a vida
E enxergou em mim capacidade
Para superar e enfrentar os meus percalços...

Olho para trás e vejo a guerreira
Que venceu e tem vencido
Suas lutas diárias sobre o front,
Hoje não tenho pressa
Sigo em paz meu caminho...

Na bagagem somente o necessário
Meu sorriso é meu hino de guerra
Onde abrigo minha esperança
E recarrego meus dias
No bolso da frente levo minha fé
Nela Deus é meu centro
Nele realinho meu espírito
E me fortaleço para o dia seguinte...

Aprendi que dias bons e ruins
Fazem parte desse plano
Aqui somos imperfeitos
Passíveis de erros e acertos
Temos o livre-arbítrio
Para explorarmos a vida
E fazer nossas escolhas.

Aprendi a me despir de medos e culpas
São lixos tóxicos que causam mal a nossa alma
Os anos me trouxeram discernimento
E um pouco de sabedoria.

Hoje entendi que a soma dos anos
Envelhece o corpo, mas rejuvenesce a alma
A beleza de dentro é mais bonita
Porque abriga o conhecimento.

Meu corpo não tem mais vinte anos,
Mas tem cinquenta e seis anos
De sorrisos que conquistei
A partir deles e posso falar
Da alegria que sinto

Que a felicidade é uma conquista diária
Que aprendemos lentamente
Quando amadurecemos
Ser feliz não é ter tudo,
Mas ter no simples o ser
O resto é ter simplesmente o necessário
Para ser feliz!

Essa é a mulher que conquistei em mim.

Regilene Rodrigues Neves – em 15/11/2018





  








NOVEMBRO

Os ventos sopram primaveras
Trazendo doce novembro na bagagem...

Pelo caminho floresce uma nova idade
A felicidade bate à porta
Trazendo flores e desejo de prosperidade
Longevidade parte
Levando para o amanhã o tempo
Que outrora celebrou tantas eras...

De estação em estação
Plantou jardins
Colheu flores e espinhos,
Viu longas metamorfoses
E a vida virar borboletas...

Em voos efêmeros
Quantos sonhos?
Entre noites e dias
Sonhando acordado
Com a próxima estação...

Chegastes mais uma vez
Repetindo sua trajetória
Cheia de resiliência
Fazendo mudanças
Nem sempre previstas.

Trazendo utopias
De quimeras semeadas no jardim
Das tuas fantasias...

Que seja prospera a tua sorte
Que te faça forte
E se repita por longas primaveras
Colhidas ao seu contentamento
Que todos momentos
Realizem teus desejos mais complexos
E um feliz aniversário te abrace além-primaveras...

Parabéns a todos os filhos de novembro!

Regilene Rodrigues Neves – em 01/11/2018