ME FALA DE VOCÊ
(por Regilene Rodrigues Neves)

Senta ao meu lado
Não precisamos de palavras
Apenas despir o coração
Ouvir a alma
Permitir a poesia
Transmitir seus sentimentos

Deixar os versos de dentro partir
Propagar-se no silêncio...

Surgir livres de anseios
Que nos apertem.
Hoje não quero conversas
Nem diálogos prontos
Apenas coisas
Que deixem o coração à mostra

Ouvir o amor nas redondezas do íntimo
O único requinte deve ser reservado
Preservado por quem ama...

Hoje eu não quero falar
O quanto estamos doentes
Cheios de violência e desumanos
Quero apenas salvar o que lá dentro
Podemos ainda tocar sem subterfúgios

Ainda resta o nosso amor
Que precisamos salvar.
Hoje se quiser
Me fala de você
Da sua alegria da sua dor,
Mas me fala de você

Senta perto de mim
Quero ouvir seus medos
Fala que você não desaprendeu
O caminho do amor

Quero ouvir seu sorriso
Continuo a acreditar
Na ternura da alma
No riso fácil que ela provoca
Quando fala a partir da alegria
Que sente na capacidade
De se encantar com o outro.

Hoje, me fala de você
Se tiver jardins na sua alma
Me diz que as flores riem por lá
Quando o amor exala sua fragrância

Quero sentir sua essência de sol
Lá dentro colhendo luz por onde anda
Pondo pra fora seus sentimentos
Para que eu possa acreditar
Que aqui fora ainda resta
Um pouco de afeto entre nós...

Senta ao meu lado, me fala de você...

Em 02/06/2017




TEMPO
(por Regilene Rodrigues Neves)

Olho o tempo vindo de frente
Olho o tempo que ficou pra trás
Olho o tempo presente
Quanto tempo faz!

Tempo, tempo
Vestido de estações
Migra para alma
De fora pra dentro
Numa sucessão de momentos
Sem demora, apenas devagar...

E lá se perde o tempo
Em mais uma estação
Tempo que não volta mais,
Pois todo o tempo
Voltou para eternidade...

Ainda que de lá ele volte
Cheio de verdades
Contínuo e indefinido
Em sua época própria
Gritando nos quatro cantos
O tempo perspicaz
Sutil há soprar o tempo...

Em 01/06/2017





AMO-TE COM O AMOR QUE SINTO
(por Regilene Rodrigues Neves)

Amo-te com a completude dos silêncios
Ao som do coração
De quem a alma completa.
Amo-te de forma límpida
Na transparência do amor
De quem ama um amor inteiro

Amo-te tanto e simples
Como os gestos
Acenando de dentro
O prazer que sinto em dizer
O quanto te amo!

E nesses vários estágios do afeto
Ele se multiplica
E me reparto para te dar
Todo o meu amor...

Amo-te com um amor tão grande
Que precisa saltar para fora
E se revelar na magnitude
Dos meus exageros de ti cuidar...

Amo-te de uma forma incrível e contraditória
Que por vezes, a saudade aflora
Todo amor que sinto!

Te amo alto e profundo
A luz do sol, a sombra da alma.
Até mesmo na noite sossegada
É tão grande esse amor, que me inundo...

Amo-te até nas coisas mais pequenas
Puras e ingênuas do amor,
Ainda assim, te amarei além da eternidade...

Por isso, te dei meu amor
Para tomares conta
Numa dependência livre e voluntária
De quem te ama!

Esse é o amor que sinto
Ao me apaixonar todos os dias
Com sorrisos e lágrimas de prece
E a assim Deus o quiser...


Em 31/05/2017




A POESIA DAS MANHÃS
(por Regilene Rodrigues Neves)

Às vezes o silêncio da alma é necessário,
Para ouvirmos a poesia das manhãs
Sentir o sol deitar seus raios no solo
E no colo repousar sua luz!

Enxergar esperança
Nas pequenas coisas
Nos pássaros batendo asas
Sobre o horizonte
Na fonte que transborda o Divino
Ou num simples olhar para o nada,
Mas que no longínquo aviste o pôr-do-sol
Trazendo o dia que finda cheio de gratidão...

Sentir no coração
Todos os ritmos pulsando a vida,
Vida que lá fora transborda
Vai até o infinito...

Ouvir os sons da natureza
Enxergar a beleza dos jardins
Que cerca de flores
O caminho,
Para que no ar
Possamos sentir todos os perfumes
Na essência de Deus!

É preciso deixar entrar as bênçãos
O amor que Ele nos reparte
Em toda sua criação
Reconhecer sua presença
Sentir seu abraço
Simplesmente agradecer
Fazer uma oração para o universo
Pegar seu galardão com as mãos...

E sobre todas as coisas
Saber que no céu Ele habita
Que nos faz esquecer a dor
Que ouve a nossa fé
E que confiamos Nele
Seguindo em frente
Ouvindo o silêncio das manhãs...

Em 27/05/2017







O SOM DA SAUDADE
(por Regilene Rodrigues Neves)

Por vezes o som da saudade
Bate a porta da alma
Se aninha no peito
Tocando sua música
De nostalgia ao fundo...

Volta no tempo
Mexendo nas lembranças
Retratos guardados na memória
Resgatando o passado
Refazendo o caminho...

Em cada estação um reencontro
No trajeto de muitas histórias
Misturadas uma na outra...

O amor lado a lado
Tocando um coração no outro
Sentimentalidades que se abrigaram
Na imortalidade, mas que ficaram no trajeto
Ainda vivas como se fosse ontem...

Haverá sempre lembranças
E por vezes a saudade vira se abrigar
Na melodia de um poema em silêncio
Escutando somente o som da saudade
De um amor que virou eternidade...

Em 25/05/2017





GRANDE MENINO
(por Regilene Rodrigues Neves)

Vou somando seus sorrisos
São risos completos de alegria
Soltos no seu olhar de sonhos...

Ah! Grande menino.
Cresceste suas asas de juventude
Voaste mundo afora
Fazendo ninhos de liberdade
Colhendo sua felicidade nas manhãs
De estações errantes
De ciclos incompletos de primaveras...

Vai, solte suas amarras
Navegue sua nau
Salte os obstáculos
Que a vida lhe impor
O futuro lhe pertence
Siga o caminho em frente...

Faça desse cântico poético
Versos para navegar
Aninhe sua alma
Lá nas montanhas
Onde o sol é infinito
E o céu fica mais bonito
Porque lá mora todos os sonhos...

Encontre sua gratidão
E lá no alto agradeça
O seu galardão!


Em 22/05/2017 



ALMAS GÊMEAS
(por Regilene Rodrigues Neves)

O amor é uma poesia que se lê
Não somos metades que se completam
Somos inteiros que se encaixam...

Nas entrelinhas que o amor descreve
Há versos que se acham e se misturam
São almas apaixonadas.
Nas completudes do amor
São perfeitas, almas gêmeas
De uma amizade eterna...

E nesse querer que se propaga
São almas enamoradas
Que dantes pensava existir,
Pois que afloram sentimentos
Ávidos por todos os momentos
Que os façam feliz...

Há de se iludir o coração
Por querer pertencer ao outro
E dessa ilusão há de partir
A utopia de um amor romântico
Cântico a quem possa ouvir!


Em 21/05/2017



O QUE HÁ EM TI
(por Regilene Rodrigues Neves)

Há poesia em teu olhar
Pronunciando alegria em teus lábios
Há sorrisos teus espalhados
Há tantos versos em ti habitados...

Há uma meiguice
Que chega a tocar na alma
Cheia de venturas pelo caminho
São teus sonhos arfando pra lá e pra cá
Querendo navegar na tua história...

Contar seus medos seus anseios
Desejos amostra dentro de ti
Querendo se apegar nas tuas entrelinhas
Viver como se não houvesse amanhã...

Fazer o destino correr tempo afora
Pegar tua sorte com as mãos
Pular sair do chão
Pisar lá fora
Correr na contramão
Gritar a liberdade
Ainda jovem na tua inocência

Ah! Menina.
Solte teus cabelos ao vento
A juventude te pertence
É só gritar para tua mocidade ouvir
A felicidade que mora em ti!

Em 21/05/2017