JÁ FUI TUDO TANTO E QUANTO

Já pulei sonhos
Já brinquei de bordar palavras na alma
Já corri atrás de fantasias
Já rabisquei poesia
Nas paredes de dentro.
Já alcei voos infinitos
Já enfrentei o tempo...

Já pousei minhas desilusões
Na árvore da vida
Já venci meus leões.
Já enfrentei navios negreiros
De novembro a novembro de ilusões...

Já amei tantos corações
Que aprendi a amar
Em tantas proporções
Que já cheguei sentir
O tamanho do amor!

Fui gerada e já gerei
Já aprendi o segredo
Da felicidade carregada no ventre
Para saber-me mãe.

Já gritei para Deus
Minha gratidão
Lá do alto do meu coração
Para receber meu galardão...

E no meio de tantos “já”
Somo o quanto aprendi agora
Na pronta entrega da vida
E imediatamente abraço
A felicidade da minha existência...

Sim. Já fui tudo tanto e quanto!

Regilene Rodrigues Neves







PÁSSARO-POETA

Abro minhas asas
Parto, vez ou outra
Sonhando acordada
Na minha imaginação...

Faço voos longínquos
Onde me ausento
Entre uma quimera
E meu pássaro-poeta
Ouvindo a ode
Em seu surto errante
Gritar sua poesia
A voar mundo afora...

Regilene Rodrigues Neves


               
PARA ESCRITORA EMILIANA VAZ
A Emiliana é minha poesia preferida
Dessas que a alma escreve sentindo emoção
É quando o coração transborda por ela
Toda amizade dentro do peito...

Ela é naturalmente linda por dentro e por fora!
Sobre ela são tantas histórias:
Memórias de Rosana
A bruxa de negro
Enquanto eu dormia
Minha empregada é do barulho
Entre idas e vindas eu cresci
A rainha dos tribunais X O rei das ondas 
Metendo o pé na jaca...

E outras que virão somar
Um grande legado
Para a posteridade...

Uma escritora completa
No qual me orgulho de ser leitora.
Para ela meus aplausos nesse dia especial
No qual a reverencio com amor e gratidão!

Sei que suas obras abrirão caminho
Para o sucesso e alçarão voo mundo afora
E lá do outro lado ouviremos
O clamor das suas histórias...

Para escritora do meu coração
Desejo parabéns pelo seu dia
Que a realização dos seus sonhos
Pouse no universo e nos preencha de alegria!

Regilene Rodrigues Neves
Arte Nalva Santos




SE NÃO HOUVER AMOR NÃO HAVERÁ AMANHÃ
O homem está perdendo a identidade da alma
Não reconhece mais o seu semelhante
Não sente mais amor pelo próximo.
Não reconhecemos mais aquele que mora ao nosso lado
Não existe mais tolerância e paciência
Passamos a sermos agressores
Daqueles que deveríamos amar.
Tornamo-nos estranhos uns aos outros
Mata-se por um prazer doentio e satânico.
O homem não teme mais a Deus
Está possuído pelo inimigo 
Que o flagela o íntimo até expurgar sua loucura.
Quanto mais templos de adoração
Mais distante de Deus estamos
E sem Deus no coração somos frágeis 
E vulneráveis aos laços do inimigo.
Diante de tantas atrocidades 
Cometidas no nosso cotidiano minh’alma chora
Por todos nós expostos e indefesos a ele.
Precisamos de Deus para nossa humanidade
Voltar-se para dentro e sentir a dor do outro como nossa.
Precisamos de diálogos mais próximos
Tocar a alma humana ao nosso lado
Ouvi-la e abraça-la como a nós mesmos
Enquanto houver essa distância entre nós
Estaremos criando monstros para os nossos filhos
Precisamos aprender e ensina-los a amar urgentemente
Antes que seja tarde para as próximas gerações
Mais do que de palavras
Precisamos de gestos e amor ao próximo
Estamos carentes de Eu te amo!
Não adianta criarmos templos vazios de almas
Se neles não habitar o amor
Deus não estará presente
Antes, porém, Ele precisa estar no nosso coração.
O coração não tem cor, não tem sexo e nem religião,
Jesus pregou somente o amor.
Mais do que de máquinas
Precisamos de corações que se toquem
Que falem de amor para o outro,
Por mais amor do que todo ódio
Que estamos praticando contra nós mesmos.
Se há um Deus que habita em você
Propague-o através do amor
Que Ele nos ensinou
Numa corrente de oração pela humanidade...

Regilene Rodrigues Neves




Tem pessoas que te ensinam a amar
Com sua magnitude nos gestos.
São florais e delicadas como a primavera
Florescendo jardins a sua volta
Porque são perfumadas de amor
Carregam flores nas mãos
Tamanho carinho que ofertam!

Regilene Rodrigues Neves



E meus sorrisos serão verdades
Que meus lábios pronunciarão na minha boca
Numa alegria confessa por toda minha face
Porque de dentro parte a minha felicidade
Admitindo que sou feliz
Mesmo com todos os temporais
Que minhas estações propagam da minha alma...

Regilene Rodrigues Neves