A IDADE DO TEMPO
por Regilene Rodrigues Neves


Uma ruga nasce no tempo
Envelhecendo a vida
Amadurando a alma...

Compreendendo
O que não é compreendido
Na estação do passado
Evoluindo o espírito
Num minuto de sabedoria!...

Aprendendo a vida
Que se perde num segundo
Que se ganha com discernimento!...

A idade do tempo
Medita entre os homens,
Para que repensem
Seus caminhos...

Existem avenidas e estreitas ruas
Na passagem do livre-arbítrio!...

O tempo
Não é mero acaso do destino
Ele apara arestas de anseios
Precipitados de desejos da juventude...

O tempo nada mais é
Que a razão
Que nos acolhe
Depois de dilatada emoção!

Dar tempo ao tempo
É meditar em silêncio
Nossos erros,
Para neles renascermos
A fênix das próprias cinzas...

E sobrevivermos à longa estrada
Do ensinamento que numa curva
Perdemos a direção
Seguindo um caminho oposto a razão...

Deixamos à emoção crescer
Sobremaneira no coração
E desviar a atenção
Nas transversais da vida!

Somente o mesmo tempo
Que envelhece os anos da juventude
Percebe uma lição nas entrelinhas...
Escrevendo no corpo e na alma
Capítulos de uma história
Passada nas páginas da vida!...

A idade do tempo
É uma necessidade diária para crescermos
A pessoa além... Físico...
Para que ela sobreviva além vidas
Num legado de esperança...


Em 23 de maior de 2008

Um comentário: