O GOSTO TRISTE DE UMA SAUDADE
por Regilene Rodrigues Neves

O sabor da lágrima nos meus lábios
Tem gosto triste
Choro meditando as lembranças
O livro do passado
Se abre num capítulo de saudade
Que escorre sua melancolia no travesseiro...

O amor deitado em meu peito
Acariciava meu coração
Desalinhava meus sonhos
Beijava minhas ilusões de esperança...

Soprava odes ao vento
E o tempo levava para o front meus desejos
Corria atrás de devaneios
Seguia passos na areia
Para estar em teus braços
Mesmo que nesse abraço
Não houvesse amanhã...

Hoje nossa história existiria
Contada sem segredo ao pé do ouvido
Que ouvia em silêncio sussurros de amor!

Lábios que essa lágrima sente
Sorriu para os teus
Beijou de amor tua boca
Que veio a sentir arrepios
Num frisson da espinha
Dilatada de orgasmos de prazer
Em noites de volúpias
Ávidas entre lençóis
Molhados pelo suor inflamado da pele
Que evaporava sugada por frêmitos de loucuras...

Então o amor dormiu em versos profundos
Sentindo sentimentalidades no coração
Ouvindo quimeras ao longe
Por trás da saudade...

A lágrima é absorvida
Ao sabor intrínseco
De uma poesia
Que chorou lembranças de amor!...

Em 26 de julho de 2009

2 comentários: