EMBEVECIDA LUA

Autoria de Regilene Rodrigues Neves


Eterna lua de noites de luares
Embevecida vagueia no silêncio
Por vezes entre multidões de estrelas
Que cintilam tua negra veste
Sombria de encantos
Que escondem prazeres
Ora de amantes envoltos
Nus a tua sedução
Ora de sonhos fugazes de ilusão...

Algumas vezes solitária
Arrima versos a poesia
Em romântica paixão
A tua voraz sedução
Que ao meu olhar de poeta fascina
Numa rima de quimera solta ao luar
Querendo meu coração de ti se emocionar
Ao ver tua beleza fascinante
Nos céus rodopiar...

Quantas vezes
Circunda no universo
Tua magia tomada de utopia
Pega meu olhar em mutua sintonia...

Fugitiva mim alma te abraça
Afoita da tua liberdade
Sombras minhas se encontram na tua
Viram nuvens passageiras
Imersas no além de uma conspiração
De súditos de uma sombria solidão
Veredas misturadas de ilusão...

Rasga a noite a veste do luar
Convida a lua à fantasia
Que fez meu olhar em tua imagem
Inspirar e em versos te recriar
Só para o meu prazer!


Em 31 de agosto de 2007

Um comentário: