SONHOS PERDIDOS

Autora – Regilene Rodrigues Neves

A vida passa cortando a luz dos sonhos
Quimeras já distantes partindo em utopias
Felicidade por aqui é poesia em arrimo de esperança...

Lá fora crescem arranha-céus
Em vidros fumê de ilusões
Olho pela janela da minha alma
Sinto um barco a deriva
Um mar agitado em altas ondas
Querendo saltar para um outro lugar
Sair desta ilha deserta de versos melancólicos

Um som de amor se ouve ao longe
Somente as ondas se abraçam
Entrelaçam carinhos sobre os céus
Tépidos de um infinito olhar...

Um grito fantasma vem do silêncio
Querendo chorar a lagrima sem ternura
O colo vazio o lábio ressequido
No corpo sem amor!
Em prece confessa sentimentos torpes
Arrancados do seio no leito da dor!

A alma chorosa joga seu último olhar ao vento
A brisa solta um frenesi lânguido no meu corpo
O sonho pega o barco que parte sem destino
Numa viagem sentimentalista do coração
Em conhecer um mundo dantes sonhado

Vagam as lembranças céticas
De uma saudade vitima de desencontros
Não mais peço a presença da poesia
Que alimenta este desejo alvoroçado no peito
Que o verso do poeta chore sua dor sem ilusões
Feneça no espírito abraçado ao meu corpo
Todo amor roubado do meu sonho de felicidade.


Em 15 de setembro de 2006

Um comentário: