CAMINHOS DA ALMA

Autoria de Regilene Rodrigues Neves



Reviro sentimentos em minha alma
E mais uma vês me procuro
Saio pela porta da frente
Caminhando pelas avenidas da vida...

Um princípio de solidão me acompanha...

Contemplo estrelas
Algumas sem brilho
Outras iluminando
O silêncio da noite...

Por segundos
Atravessa um sonho em meu caminho
Pensando ser um cometa
Faço um pedido...

Meu coração pesado
Sentindo tamanha tristeza
De algo perdido...

Perco a trilha do cometa
Deixo para trás o sonho
Sigo caminhando...
Um vazio ilhado no peito
Uma ansiedade inquietante
Em dissabor profundo...

Um pingo de lua
Contemplado a distância
Parecia uma lágrima
Chorando no rosto do céu...

A nostalgia serenando
Sobre mim... Misturada àquela dor
Que persistia... Sem chance alguma
De me defender... Procurei um abrigo
Nos lençóis vazios... Para não me perder...

Sem resposta
Caminhei pela noite
Tentando reencontrar o sonho
Que por um segundo
Foi minha esperança
De um pedido secreto
Em mim adormecido...

Cansado de um caminho sem volta
Olhei derredor... Transeunte numa mesma busca...
Sem expressão de felicidade na mesma ansiedade
De um vago olhar... Andei noutros caminhos
Em fuga de uma sensação abstrata de emoção

Os mesmo rostos em minha direção
Cheguei numa rua morta sem expressão
Na conclusão de ter adormecido
Sobre o coração... De volta...
Fiz o mesmo caminho...
Entrei pela porta da frente
Sem me encontrar...


Em 03 de maio de 2008

Um comentário: