NOS VERSOS DO MEU CORPO

Autoria de Regilene Rodrigues Neves



O amor sopra um poema
Desnudo no meu corpo
Um caminho escrito em mim
Em silêncios de luas
Noites submersas de solidão...

A alma exposta
Envolta na pele nua...

Dentro de um lago de sentimentos
Atravesso sonhos ilhados no coração
Numa trajetória superiormente íntima
De carências minhas... Direções opostas
De um querer de amor que teima
Queimar meus segredos...

Ardentes chamas
De intensa paixão recolhida
Num verso sensual de cobiça
Provocadas em beijos
Dos teus lábios
Querendo saciar a fome da minha pele...

Entrego-me aos desejos
Implorados em tua boca
Vontades escritas com volúpia
Dedilhadas com luxúria e êxtase
Da minha alma cigana...

Que segue uma estrada insaciável de amor!...

Procuro em algum lugar
Esse poema esquecido
Que faz de mim um objeto
De meros desejos...

Num olhar atravesso quimeras
Invado a privacidade latente
Do meu corpo excitado de aventura...

Querendo flagrar
A essência derramada
Sorvidas no prazer
De um poema
Aberto em meu peito
Numa coexistência faminta
De amar além da poesia
Que escorre molhando o papel
Nos versos do meu corpo...


Em 10 de maio de 2008

Um comentário: