RASTRO DE UM SONHO
por Regilene Rodrigues Neves

Segui um rastro de sonho
Dormindo sobre um tapete
De folhas de outono
Algumas amareladas de lembranças
Outras ressequidas de desilusão

Fazem-me debater sentimentos
Ousados de um sonho
Ainda amadurando nos galhos da vida
Que frondosa e verdejante
Joga-me suas folhas de esperança...

Em sono profundo m’alma
Refugiava-se nessa quimera
Cheia de fantasias...
Corro atrás da alegria
Feito pássaro na gameleira
Assoviando ilusões de utopia...

Em devaneios
Sigo um caminho
Por uma estrada
Que passa dentro de um coração
O amor escorre vermelho de paixão...

Desejos sangram
Entranhas dilatadas
Expulsam emoções
Contidas num corpo
Sobre o tempo...

Somente o pensamento acordado
Refugiado no colo da memória...

De olhos fechados
Enxergo apenas um sonho de amor
Que teimara dormir comigo
Quando ainda me deitava...

Um vento andarilho
Cobre-me de folhas
Escondendo-me a face
Solitária da noite

Sem estrelas o céu
Perde-se na escuridão
Sem nenhuma compaixão
Por um sonho
Que ali no meio do nada
Vaga do meu corpo...

O amor procura
Um lugar onde possa acordar
Dentro de mim
Sem ter que viver de sonhos perdidos...

O dia amanheceu varreu as folhas
Daquele dia de outono...
Imperceptível uma nova estação se aproxima
Os restos do meu sonho
Ainda seguem seu rastro...

Pegadas por um caminho de amor me levam
Pedaços do meu sonho jogados numa estrada
Por ela eu sigo sem perder
Meu sonho de vista
Dentro de mim ele grita não desista
Quem sonha um dia conquista
Só assim esse amor vai me encontrar
E o meu sonho realidade se tornar!...

Em 22 de junho de 2009






2 comentários: