NAS ASAS DO SILÊNCIO
(Poema do leitor anônimo)
por Regilene Rodrigues Neves

Sou o silêncio imperceptível
Que ouve tua voz
Lê as alíneas do teu pensamento
Escuta os sussurros do teu peito
Que voa feito pássaro poeta
Ao som do infinito...

Sou um passageiro mudo
Que escuta em silêncio
Sem fazer alarde.
Ouço teu coração
Ainda cheio de amor
Derramando sentimentos...

Sou gaivota sobrevoando ninhos
Repouso meu átimo na poesia
Que da tua alma aflora
Fascina-me todo encantamento dos teus versos
Ouço epopéias livres
Feito andorinhas rodopiando
Entre anseios de liberdade
Ouço gritos de felicidade
Onde jaz a solidão
Que se despede da noite solitária...

Vim aqui ler tuas entrelinhas
Embevecida de sentimentos
Beber na tua fonte
Matar minha sede de aprendiz
Que pelo recanto pousa em silêncio!...


Em 17 de agosto de 2009

Um comentário: