UMA NOITE DE AMOR
por Regilene Rodrigues Neves

Acordei lendo um poema
Cheio de volúpia
Alguns desejos
Ainda no corpo da poesia
No céu beijos sugados
Roubados da boca
Que ousara sentir vontade
De se perder de amor...

Entre lençóis
Escorreu a poesia erótica
De uma noite ensandecida
Vencida entre quatro paredes...

Fantasias espalhadas pelo quarto
Enxergavam a sensualidade despida
Teus olhos devorando minha intimidade
Teus lábios ressequidos querendo provar
O sabor do meu corpo

Eu arranho tua pele
Assanho nossos instintos
Provo carícias na ponta dos teus dedos
Sinto frêmitos implorando por mais...

Até que a posse das tuas mãos
Cheias de sofreguidão me pegam no colo
Deslizam estrofes profanas sem nenhum pudor
Versos carnais molham de prazer
O meu íntimo...

Em êxtase a poesia declama
Seduz-me o poeta
Entregue a sua ode erótica
Explorada pela ânsia de amar
Até findar um poema
Cravado de luxuria
No lençol de seda branco
Cujo papel escrito sobre o leito
Lia nas letras de um poema
Uma noite de amor!

Em 24 de agosto de 2009

Um comentário: