ALMAS VAZIAS

Autoria de Regilene Rodrigues Neves



Almas em completa solidão
Num retrato de corpos vazios
Num labirinto de desejos
Explorados no sexo
Numa compulsão em busca
De alguma coisa que preencha
Essa lacuna nos sentimentos...

O homem distancia cada vez mais de si mesmo
Num desencontro de perguntas sem respostas...
O meio alienado ao sistema bruto e insensível
Meramente carnal. A necessidade tamanha
De ser amado lança mão da precipitação das emoções
E passamos a amar o desconhecido...
Que se frustra numa convivência real do amor verdadeiro.

A liberdade exagerada
Se funde confunde...
A noção dos valores
Estampada em corrupções, violências,
Vícios... Direções a esmo do destino...

O desrespeito joga filhos contra pais
E pais contra filhos... A palavra carregada de ira
Violenta uma geração perdida do seu valor
A moral tão imoral aflora na juventude
Crescida sem respeito ao próximo!

O amor urgente fica ausente
Na declaração que o aproxima
Os gestos ficam esquecidos no papel
Que gritam em silêncio
Numa voz sem ouvinte...
Contrários de fora para dentro
Numa mensagem sem alma
Que passa entre nós
Mas não sentimos sua presença...

O mundo virtual derrama
Lindas mensagens
Lidas, mas não sentidas na alma em verdade...
Apenas uma necessidade fugaz de agradar!

A bíblia um livro escrito pelo homem,
Não mais inspirado por Deus!
Seus mandamentos esquecidos no passado
De nossos antepassados...

Almas vazias são o que criamos em laboratórios
Numa urgência do mundo moderno em sua globalização
Criamos espectros sem emoção... Matamos o próximo
Com a mesma voz de amor que declaramos em nome de Deus!

O amanhã tem medo
Almas vazias se alastram
Numa proporção maior que os sentimentos
A emoção é um grito de alerta perdido no coração
O amor é uma procura
Numa direção oposta...
Avenidas se abrem na alma
Corredores alargados de solidão!...


Em 25 de abril de 2008

Um comentário: