REDE QUE BALANÇA SONHOS

Autoria de Regilene Rodrigues Neves


Rede que balança sonhos
Sonhos perdidos embalados na alma...
Acordados ainda pequenos pela vida
Agredida em desenganos...

Sim... Foram tantos sonhos
Sonhados na rede da varanda...
Querendo esquecer dessa realidade
De adversidades somadas
Em tantas manhãs
De triste nostalgia...

Cheias de marcas e desencontros
Roubados de um sonho de felicidade
Arrancados por uma cruel realidade
Que hoje prefiro sonhar dormindo
Esquecida no balanço da rede...

Temendo que de mim ela se perca de vez
Em profunda melancolia
Num apego furtivo da vida...

Assim vou vivendo
Numa fuga constante...
Balançando quimeras
De uma fantasia
Que me devolvam sentidos,
Para continuar sonhando...

Na rede
Durmo mais e mais...
Dela acordo sóis
E lindas manhãs esquecidas...
Vejo noites inteiras de luas mágicas... Cheias...
Num espetáculo maravilhoso
De estrelas dançando derredor
Do meu leito
Feito bailarinas cintilantes
Iluminando meus sonhos...

Na rede me jogo
Esquecida de mim mesma
Sonhando apegada aos olhares da minha alma
Pintando telas imaginarias dos meus sonhos
Num olhar íntimo
De paredes interiores pintadas em grafite
Sublimando a felicidade forasteira dentro de mim...


Em 24 de abril de 2008

Um comentário: