PERFIL DE UMA ESCRITORA DA ALMA

Autoria de Regilene Rodrigues Neves


Sou andarilho
Correndo estradas da alma
Em busca de sonhos perdidos
Escrevendo versos para não chorar...

Doando através das letras
Esse amor exagerado do meu coração
Feito de carências sublimado de emoção!

Que busca nelas o encontro perfeito
Feito de amizade e amor!

Nesse grito infinito de poesia
Sou tudo e nada sou
Num entendimento superior a minha compreensão...

Por vezes me perdi e me achei
Nas entrelinhas de um poema
Chorei e senti fortes emoções
Em lágrimas de alegria e tristeza
Numa comoção rascunhada da alma
Em sopro de carinhos
Que me dessem força e coragem,
Para vencer as interferências do mal
Suportando as adversidades da vida!...

Tornassem meus medos e inseguranças
Suportáveis na face sombria de um vazio...

Colhidos de desenganos e desencontros
Não existe lamentação em minhas frágeis palavras,
Mas uma guerreira que jamais fugiu a luta
Que fez de cada lição um aprendizado
Que me tornassem melhor
Do que fui e do que poderei ser...

Meu olhar carrega marcas do passado,
Mas enxerga fé e esperança
Nas pequenas coisas imperceptíveis...
Meu centro é Deus
Meu principio meio e fim.

Dele recebi inúmeras bênçãos
Que reconheço no amor
Declarado que sinto pela vida
Em agradecimentos que louvo em teu nome!
Com Ele todas as coisas são possíveis
Diante do impossível...
Sem Ele sou um fraco e oprimido
Sustentado pela ignorância de um tolo!

O tempo é o mestre que ensina
Lentamente os caminhos da sabedoria
Apressar nossos desejos e ansiedades
É colher espinhos antes de sentir
O perfume da rosa...

Minha sensibilidade
Torna-me alguém
Que faz o feio parecer bonito
E o bonito ser dono de rara beleza!

A natureza é meu palco de energias
Nelas existem dois caminhos
Que me levam para o bem e para o mal
Sou dona do meu livre-arbítrio.

Minhas escolhas
Muitas vezes erradas
Levaram-me as conseqüências
Que hoje padeço na alma...

A maior lição da vida
É o entendimento do amanhã
Quando enxerga todo seu passado...
Cobrando-te em dobro
Os passos apreçados da juventude...

Amadurecer o fruto do espírito
Sem esperar a passagem das estações
É colher intempéries para um fruto sadio...

O mal é uma semente que germina e propagasse
Se não plantarmos o bem e regá-lo todos os dias
Sem olharmos a quem...
Ele será maior que as nossas lamentações...

A felicidade é construída num caminho de justiça
Mesmo que nos olhos do próximo ela seja injusta...

Doar um gesto
É molhar o caminho ressequido,
Para que volte a germinar esperança...

Esse perfil retrata minha alma
Na fotografia de um corpo físico
Envelhecendo pelo tempo...
Talvez amanhã se encontre amarelada e esquecida
Em algum lugar... Mas sei que vou deixar um legado
Escrito para os meus filhos sobre a escrivaninha...
Para que leiam à alma de alguém
Que foi amor acima da dor!


Em 08 de maio de 2008

Um comentário: