VIDA EM POESIA
por Regilene Rodrigues Neves

A vida em sua sede
Bebe cálices de sonhos
Embriaga-se do dia e da noite
Para colher fantasias
Na face do horizonte...

A esperança faz seu caminho
Na estrada do infinito
Átimos dormem no firmamento
Sentimentos aleatórios
Amores transeuntes
Quimeras de ilusão se apegam
Na epopéia do silêncio...

Bebo a vida
Em copos de anseios
Tentando saciar
Minha sede de viver,

Viver o meu tudo e o meu nada
Para não esquecer minha origem
De aprendiz do meu eu
Alguém que anda lá fora
Sorrindo e chorando por dentro!

Sou uma poesia
Que conta sua história
De derrotas e glorias
Pelas alíneas dos sentimentos
Um pássaro que alça vôos do coração
Um ninho de amor
Onde abrigo minha emoção.

Quantas alegrias
Quantas lágrimas
De encontros e desencontros...

Sobre o papel
Meus dedos deslizam
Acariciando toda uma vida
Entrelinhas que vivi
De desejos e inspirações...

Quão ávidas foram minhas aspirações
Que cheguei a transcender meus limites
Voei no alto mais alto de uma poesia
Porque nela a vida me sorria
Seu sorriso de felicidade

Quantas verdades em versos
Guardados em relíquias da minha vida
Legado de lembranças minhas
Para que a saudade não sofra
A minha ausência
Porque estarei viva em versos
Em cada lembrança de um poema meu!

Em 14 de maio de 2009




2 comentários: