DO OUTRO LADO
por Regilene Rodrigues Neves

Um sonho
E eu acordo do outro lado
Você encaixado na minha alma
Feito poesia de amor
Meu corpo tateado
Nas folhas soltas do meu íntimo
Misturadas minhas intimidades
Em cada linha desalinhando de utopia meu eu...

Entre lençóis brancos lhe escrevo
Descrevo sobre o papel que encobre minha voz
O silêncio da saudade escuta estrofes
Largadas no passado...

O tempo acordado
Ouve o destino em frente
Ruídos de solidão
Faz barulho na alma...

A ode vaga procurando envolta
A poesia que se perdera
Ainda procura um resto de palavras
Que confortem os sentimentos
Quisera falar de amor
Sem que ouvisse minha sensibilidade
Do avesso expondo minha carne ao seu desejo...

O prazer na minha pele dilatado
A poesia escorrendo pra fora
Fantasias querendo me tocar
Beija o colo envolto de prazer
Sacia a fome de amor do meu corpo
Para que minha alma possa sentir
Esse espasmo de volúpia...

Um sonho dentro do peito
Sussurra sentimentalidades
Molha os lábios
Sinto o beijo se aproximando
A boca chamando exalando paixão
Enquanto o coração se aproxima
Dos seios nus e entre nós
Gritos de amantes se perdem no meio da noite...

Pela manhã encontrei sua poesia do meu lado
Ainda aquecia meu corpo encaixado ao seu
Do outro lado o dia amanhece solitário
A solidão correndo envolta
De um poeta sonhador...


Em 26 de outubro de 2009

2 comentários: