SOBRE TEUS OLHOS
por Regilene Rodrigues Neves


Sobre teus olhos enxerguei dentro de mim
O teu amor ouvia minha poesia
E a minha poesia te amava
Eu me punha a escrever-te
E tu me seguravas em teu colo
Como se eu acabasse de ser salva por tua carícia
E me sussurravas que aquelas palavras que eu te escrevia
Eram versos de amor
E então tu me lias com teus olhos...

Tuas mãos percorriam os segredos do meu corpo
Então me esquecia que morri de amor
Tantas vezes nos teus braços!

Amava-te também com a alma
Feito um cego tateando meus sentimentos
É sempre o mesmo desejo
A vontade que despe minhas fantasias
E eu entregue a ti
Feito lua entregue a noite...

A verdade que te devoto meu amor
Como um servo ao seu dono
Sinto-me uma escrava que te ama todos os dias
E passo a acreditar que és: meu amo e senhor!

Gosto quando escuta meu coração
Quando vasculha minha alma
E adivinhas onde ninguém antes tocou
Imaginando-me sempre tua...

Cobre-me com teus lábios
Um lençol de hálito quente
Que aquece minha boca
E prova o sabor da felicidade dentro de mim
Enveredas em meus caminhos
Segue a minha senda
Acha os meus seios
Aperta-me contra o teu peito
Para que eu ouça o som do teu coração
Pulsando de paixão...

Então viro poesia
Sou uma mulher que se dissolve
Nas linhas insanas da emoção
E um amor vai me percorrendo
Descortinando sonhos volúpia e ilusão...

Até que a vida paire no meu silêncio
E a única voz ouvida seja de amor!

Percebo que teus olhos me escutam
Encontro-te dentro de mim
E passo a repetir que te amo
Um amor sem fim...

Debruçada sobre teus olhos
Eu escalo as alturas e me perco
Nesse poema de amor
Que infinito segue o destino
Procurando teu olhar por onde for...

Em 22 de outubro de 2009

Um comentário: